Olá Geekissers! Hoje vou trazer um post de feels pra vocês, porque escrevendo esse textão me fez lembrar de muitos feels, como nesse post aqui.

Não jogo Pokémon há exatos 20 anos, porque a franquia só chegou aqui em 1998 e foi em 1999 que conheci o anime E o jogo, que são coisas totalmente diferentes, mas isso não vem ao caso.
Pokémon é uma franquia muito importante pra mim porque eu praticamente vi esse negócio crescer e eu cresci junto. Foi algo que me proporcionou momentos que eu achava que nunca iria conseguir viver. Fiz amizades sem saber que estava fazendo amizades (porque sempre foi algo difícil pra mim, o ato de socializar com alguém que eu não conheço) e quando eu via já tava batalhando com um estranho ou trocando um Pokémon.

Eu já tinha um Game Boy na época, o que me faltava era só o jogo e foi com Pokémon Red que comecei. Ainda guardo na memória a sensação maravilhosa de parecer que você está partindo pra uma jornada pra conhecer o mundo, pra conhecer as espécies de Pokémon, pra conhecer a si mesmo. Na minha cabeça ainda é mais do que só um jogo, eu me imagino naquele mundo como eu me imaginava quando era criança. Eu fui crescendo e fui acompanhando as gerações que surgiam, mas ainda com aquele sentimento de um novo começo, de um novo jeito de descobrir coisas que eu ainda não sabia. Viajei por diversas regiões, sempre descobrindo algo novo e Pokémon novos, que eu espero que venham mais (7ª geração confirmada, yay!).

Há quem diga que Pokémon só presta na primeira geração. Não vou brigar e nem discutir, porque cada um gosta do jeito que quiser. Mas eu vejo Pokémon como uma forma de expandir horizontes. Pokémon se renova a cada geração que é criada. Uma criança de hoje vai jogar os jogos de hoje achando que a franquia começou na sexta geração, mas isso pode ser um gancho pra ela descobrir os outros jogos da série e viajar nesse mundo imenso que é o mundo Pokémon. Eu tive a oportunidade de crescer com a primeira geração até hoje, mas gosto de saber quando alguém descobre a franquia hoje e busca esses novos horizontes que são os jogos passados.

Pokémon me proporcionou outra coisa que é sempre acreditar no meu taco e no que eu quero pra vida. É meio que baboseira se falo assim, tem gente que não enxerga nada disso, só vê Pokémon como um jogo onde você pega os monstrinhos, luta e pronto, mas eu vejo tudo isso diferente, dessa forma de aprendizagem e conhecimento.
Sei lá, pode ser que só eu me sinta assim por ser uma franquia que eu aprecio muito (tá na minha lista de franquias de vida), mas eu queria que todo mundo se sentisse do mesmo jeito que eu me sinto quando jogo Pokémon.

Se esse textão te fez acender a chama de treinador que vive ou viveu aí dentro, pega aí alguma coisa pra jogar, nem que seja os primeiros jogos, só pra pegar a primeira insígnia, mas com a mente aberta e imaginando que aquele jogo preto e branco, todo pixelado e feio pode se tornar algo muito colorido, cheio de vida e lindo dentro da sua cabeça, como é na minha.

Gotta catch ’em all!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>